Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

25
Nov12

Percebi

Sara Oriana

Hoje Não quero saber, simplesmente

Estou Feliz, estou feliz porque percebi

Finalmente, Que não quero saber

Estou farta de tudo o que sinto e senti

Do que vejo e do que não vejo

 

Hoje estou feliz, porque percebi

Percebi que enquanto existir um sorriso

Terei certamente tudo o que preciso

Um coração quente porque sorri

Outro porque alguém lhe sorriu

 

Estou farta de lamentar as minhas desgraças

e de me esquecer de todas as outras coisas

 

Haverá sempre maus pedaços, e confusões

Haverá sempre más pessoas e corrupções

Mas também haverá boas pessoas e amores

E vidas e ajuda e abraços beijos e flores

Haverá sempre trabalho acabado e por fazer

 

Por isso, desculpem, mas não quero saber

Ajudarei quem poder ajudar irei sorrir

Irei dar o que tenho de melhor, por isso

Deixem-me sonhar viver e rir

 

Hoje não me preocuparei mais 

Com problemas com solução...

25
Abr09

Se pudesse viver de lembranças

Sara Oriana

Se pudesse viver de lembranças vivia,

Perdia-me na minha mente, em mim

Apenas vivendo os doces momentos

Momentos esses em que existia...

 

Agora sou uma cascata sem fim,

Um fundo poço de tormentos

Castigando-me e lamentando-me assim

Lambendo todos os meus ferimentos

 

Mas dia após dia nada melhora

Desde o alvorecer ao entardecer

Sonho sem sonhar e vivo sem viver

 

Vou apodrecendo, não há nada, e tudo piora

Vou vivendo, esperando a minha melhora

Mas sem me iludir, porque disto não vou morrer

 

04
Fev09

Recomeço

Sara Oriana

Começo de novo o rumo de sempre

Aquele que sempre começo e nunca acabo

Aquele que volto atrás porque acho que não consigo

Aquele cheio de hesitações, de preguiça

Acomodações!

 

Mas hoje quero ser melhor,

Mesmo que já seja noite, quero tentar

Não quero ceder ao faço amanha, não hoje

Hoje... que palavra abrangente, hoje não

Agora, Neste momento, neste preciso milésimo de segundo!

 

Que seja inverno, que chova, que neve,

Que venha a maior tempestade, o maior vendaval

Estou farta de nadar na minha própria miséria.

Não tento porque posso falhar... pobre idiota

Morte a essa saga! A esses pensamentos medíocres!

 

Neste momento largo este cadáver de cobardia

Porque ter medo de viver, de arriscar, de perder

Não só nos priva do que é bom, como ainda

Nos consome por dentro.

Que tudo isso desapareça, e que dê lugar a mim.

20
Jan08

Pecadora insana

Sara Oriana

Se meu pecado é ser eu

Pobre de mim que pequei como nunca

A minha única pergunta

É qual direito é afinal meu...

 

Ora como se me importasse

Sou louca pobre de mim, sou louca

E como louca peco em sê-lo

Sou loucamente feliz, e mesmo que o mundo me julgasse

Pobre do mundo pois iria despresá-lo

O mundo quer ser triste

Deixá-lo ser

Mas sozinho porque eu estou contente

E por ele não quero sofrer

 

Canso-me das rimas, coitadas

Ai que não quero ter limites, que se lixem elas também

Quero rir como nunca, chorar como nunca,

Viver, simplesmente viver

 

Chamem-me louca, sou artista

E com génio de artista ninguém é certo

E grito de felicidade, pelo nada que é minha vida

Grito de felicidade pelo que sou, pois sinto-me grande

Sei lá grito porque grito, porque quero gritar

E quanto mais grito mais vontade tenho em fazê-lo

Mais feliz fico por tê-lo feito

 

E canto, grito, salto

Num mundo de pura euforia

Quero que o mundo sinta a minha alegria

Que me inveje por ser feliz

Que me inveje e diga, que a pobre não sabe o que diz

E não sei mesmo, pois não?

Sou louca, puramente louca, completamente passada

 

E tu que me olhas pasmado

Volta para os confins do passado

Não quero saber de ti porque não me apetece

Chamem-me egoista chamem-me chanfrada

Chamem-me o que quiserem, pois sou-o tudo

Ou talvez nem seja nada, mas a verdade é que não me interessa

 

Opiniões? Levei a minha vida apoiada nisso

Mas hoje sou bem mais que isso

Perdoem a minha loucura, se não o fizerem quero lá saber

O que eu quero hoje é escrever

No estado mais puro que conseguir

Falando, Rodopiando na minha maluquice

Ter tudo o que não tive por mera borrice

 

Sou bela sei que o sou, tenho o que quiser

Apenas perco aquilo que nunca foi meu

Porque amor dá-se a todos e de todos se recebe

Porquê, não faço a mínima ideia

Eu não sou de ninguém e ninguém me pertence

 

Digam-me que não valho nada, que me quero rir

Por favor, digam-me isso, rir-me-ei como louca!

Insana, brutalmente insana me encontro

Falo com espelhos e paredes, comigo e comigo mesma

Faço um poema quase sem rimas, que escandalo

As letras correm-me nas veias, sobem-me á cabeça

Eu canto a cantiga que nunca cantei ,a minha cantiga

 

Ai ai... meu amigo e minha amiga

Contagiem-se pela minha insana loucura

Bebam dela, como água quando estão sedentos de sede

Pois embora doida, sou genial

E por isso, o meu saber não vos fará mal...

 

 

17
Jul07

Brilhante

Sara Oriana
Abram alas, pois hoje estou feliz
O mundo pode não me abençoar
Mas eu nunca deixarei de sonhar
Como um pequeno petis

E que as minhas desgraças ardam
E que os meus lamentos se desvaneçam
Nas labaredas da minha alma
Antes que volte a calma

Hoje sou grande e bela
Hoje sou brilhante como uma estrela
E isso ninguém me tira
Nem a mais pequena ideia sombria

Olhem-me hoje então
Tão altiva e brilhante
E peço então perdão
Pela alma tão citinlante
Que parece ser um insulto
Para o mundo que está sempre de luto...
07
Jun07

Renascer

Sara Oriana
Tal como o sol renasce
Depois de uma tempestade
Eu renasci
Com sede de verdade

O sangue corre-me quente nas veias
Sentido o mundo, lutando por mim
Já não me conformo em observar por janelas
Já não desejo nenhum fim

Estou farta de esperar algo
Quero verdade, quero honestidade
Quero saber quem está comigo
Quero sentir a minha liberdade

Não quero ser mais a vitima da tempestade
Quero ser a sua causadora
E luto por isso com ansiedade
Sou uma eterna lutadora

Posso não saber se alguma vez fui amada
Mas sei que serei sempre admirada
E se já não o sou agora
Se-lo-ei na proxima hora

Se a disciplina antes não me dumou
Jamais me dumará agora
A fraqueza, hibernou
E agora ninguém me mandará embora!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D