Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

12
Nov17

O teu olhar

Sara Oriana

Apenas vejo um vazio,
uma pena, um politicamente correcto
Apenas vejo o que explodiu
O que deixou de ser perfeito

Sinto-me como se a sombra de alguém
Como alguém que nunca conheces-te
Deslizas pelo mundo e eu gostava também
De ter o teu deslizar, o teu caminhar
Ou que me dissesses que não esqueces-te

Mas quanto mais olho, menos vejo
Quanto mais sinto, menos reconheço
E digo que nada faz sentido, que não pode ser
Mas apenas te oiço a dizer para te esquecer

Mas como posso, como posso
Como posso eu caminhar sem perceber
Como tanto se tornou em tão pouco
Como tanto amor simplesmente deixou de ser

E tento-me repetir todas as imperfeições
Tento-me convencer que é melhor assim
Mas o meu coração não esquece as tuas feições
E que não consigo reconhecer o fim

Os meus sonhos traem-me com mundos paralelos
Em que tudo se resolve, foi tudo uma brincadeira
Então acordo e percebo que vivo nos pesadelos
E tu ai ficas imponente, sem sinal de choradeira

E eu alimento uma vazia esperança
Depois olho-te e cai tudo na desgraça

 

01
Out09

O virar da página

Sara Oriana

Dispo-me por fim de toda esta amargura

De todo este amor sem doçura,

Hoje vejo, hoje sei, que um dia te amei

Mas hoje não, não mais, viro a página por fim

 

Não a viro com ódio, não a viro com despeito

Não a viro também com felicidade, viro-a sim

com o mais profundo respeito

 

Porque sei que no fundo, és parte de mim

Pois há paixões que duram pouco ou nada

Outras que corroem, parecendo a vitima condenada

E por fim, as mais fortes, aquelas que podem ser

Que podem durar, mas por algum motivo,

Acabamos por as perder.

Essas duram enquanto o ser for vivo

 

A forma como nos tocam, como nos afastam de nós

Da nossa razão, fazendo tudo em prole do outro

Fazem-nos perceber tanto acerca do que somos

Que quando passa a amargura, somos um espectro

Do que um dia fomos, para que possamos crescer

 

Esses ensinamentos levamos connosco,

jamais os iremos esquecer

São nos gravados na pele, com admiração, e com amor

Limpam-nos por dentro, e por fim, nascemos de novo

 

Ou nascemos enfim, abrimos os olhos finalmente

E damos valor ás grandes e pequenas coisas

Aprendemos que o tempo e escasso, que a juventude mente

E que somente se tivermos outra paixão

Uma terrível paixão por nós, e pelas pequenas coisas esquecidas

Viveremos em paz, e podemos voltar a abrir o coração

 

Hoje não te amo, mas guardo-te, e assim ficarás comigo

Como alguém que eu profundamente admiro, que apesar da magoa

Jamais esquecerei, porque também é meu amigo

Hoje sei, por fim, já não haverá por ti mais nenhuma lágrima

08
Fev08

O mundo

Sara Oriana
O mundo parece tão bem...
E eu aqui, assim...

Mas não mudava nada! Nada!
Gostava de estar feliz também,
Mas não poria à felicidade dos outros um fim...

Oh, como estou maravilhada...
Tanto sol, tanta felicidade...
Não os invejo, mas sinto saudade.

Eles mostram-me que nem tudo e negro
Se for perciso, para manter tudo assim, eu morro
Estou a ser sincera, e não me interessa
Disto tenho eu certeza...

A minha felicidade jamais serias possivel
Se o mundo fosse de outra forma, horrivel.
08
Jan08

O Piano

Sara Oriana
Eu quero sentir cada nota
Cada som que me percorre a alma
Quero viver esta pauta
Quero reinar nesta calma

Piano que tocas para mim
Não me oiças, não pares
Não me deixes na espectativa
Continua a soar assim
Pois tocar-me é o que queres
Queres que por ti eu viva

E mesmo que não quisesses, viveria
E se não mais tocasses, morreria

Porque tu és a unica paz de que gosto
Oh... e como te amo
Por isso assim insisto
Conquisto-te, conquistas-me
Toco-te, amando-te mesmo
E assim tu me tocas

Com o teu som belo e envolvente
Aquela bela suavidade quente
Tu sorris a meu lado
Tu lamentas pelo meu passado
Tu amas comigo, tu choras pelo meu amigo

E esta noite, tocarás para as estrelas
Esta noite, tocarás para o vento
Tudo porque elas são belas
E por este simples momento.
06
Jan08

O cantigo da guerreira

Sara Oriana
Grande e altiva observo o mundo
O vento enlaça-me e dança comigo
A meus pés está o tudo
e eu canto e digo

Almas que me consomem
Que bebem do meu sangue
Saibam que por muito que se esforcem
Jamais ficarei exangue

Porque quando eu choro
As lágrimas não existem
Porque quando eu caio
Caio de pé, acreditem
E quando morrer
Soube o que foi viver

O que me move é eterno
Jamais me ei de perder
Porque amo tudo o que é terreno
E acima de tudo isso, o meu ser

Tenho espirito e tenho força
Amo, com devoção e segurança
Sonho com espadas, lutas eternas
A melancolia e a paz são minhas capatazes
Abomino psicoses modernas
Quero ver de que são capazes!

Vida! Venero-te sou tua!
Por muito sensaborona e crua
Sorte! Jamais me vencerás
A vida será minha capataz!
30
Dez07

O que as palavras querem

Sara Oriana

As palavras querem sair

Mas não tomam forma

Não querem o nada permitir

Querem ser mais que coisa alguma

Querem chorar, como o meu coração chora

Querem gritar, como ele grita

Querem acompanha-lo quando ele se for embora

 

Sem lágrimas, porque essas não as há

Pergunto-me o que de mim será,

Sem palavras com que falar

Sem coração para que possa amar

 

Ás pedras ficarei limitada

E porquê? Porque serei nada

 

Não tenham dó de mim

Porque isto não é o fim

Tenham pena de mim sim

Quando for arrastada por este mar de sargaço,

Só aí, quando não restar nenhum pedaço.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D