Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

10
Jun09

Viva de novo

Sara Oriana

É tão bom sentir-me viva de novo

Caminhar sem medo de cair

Andar livre, caminhar e sentir

Não me preocupar, amar-me por fim

 

Paro de sonhar, de divagar

Quero sugar tudo o que a vida me tem para dar

Viver aquilo que me aparece,

Colher somente o que me apetece

 

Viver para mim, perder-me assim

Amando o mundo, respeitando-o

Caminhando cantando, sonhando-o

 

Gritar sem medo de o fazer por fim

Rir até não mais poder, viver a liberdade

Sem me comprometer, sem sentir nenhuma saudade

03
Set08

Aurora

Sara Oriana

E de vez largo o negro, como um véu que cobriu a minha vida...

Mas não mais!

Quero tudo o que o mundo tem de bom

Quero viver cada gota alguma vez sentida

Quero sentir cada rajada, ouvir cada som

Quero ser mais do que alguma vez fui

 

E deixem-me hoje largar os meus fantasmas

Deixem-me hoje abusar de todas as palavras

Deixem-me hoje ser livre!

Livre... livre como um pássaro que voa!

Livre na simplicidade de se ser livre

Da invisibilidade que é ser livre...

 

E hoje é melhor ainda do que ser simplesmente livre

Hoje estou livre de mim!

Do meu salão escuro, das minhas mágoas

De todos os cacos todas as lágrimas

Hoje quero tudo isso fora, por fim!

 

Hoje não tenho medos, aborrece-me tê-los, mandai-os fora!

Hoje sou a minha própria aurora!

 

E tu, tu que me fazes brilhar,

Que me livras-te de mim

Que me amas e me fazes amar

Obrigada

09
Jun07

Liberdade

Sara Oriana
O que é a liberdade?
Posso ser livre, de algum modo
Mas a minha própria sobriedade
Me prende de todo...

Palavras, meras palavras
E sentimentos, meros sentimentos
Nos arrastão para maravilhas
E afundam-nos em tormentos

Escolha? Qual escolha temos?
Criarmos raizes e afundarmo-nos na terra
E desta forma morrer-mos
Ou deixamo-nos aventurar nesta selva
E assim sofrer-mos

No fim acabamos por amar
Com sorte seremos amados
Apenas temos liberdade de sonhar
Com dias mais ensolarados

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D