Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

05
Ago09

Um belo caminho que me leva a lado nenhum

Sara Oriana

Um belo caminho que me leva a lado nenhum

Ou levaria se o seguisse, se o pisa-se, se o percorre-se

Mas eu quero percorre-lo, passo a passo, saborear cada um

E os conselhos atormentam-me, mas é como que me esquece-se

 

Começo mesmo a andar, mesmo a caminhar

Penso em tudo, e no fim, bem no fim

Sei que o vou caminhar, porque não me interessa aqui ficar

Pois mesmo assim, lado nenhum, há de ser algum lugar

 

Bom ou mau, quero vê-lo descobri-lo decifra-lo

E depois? Depois é futuro e lá logo me chateio

23
Mai09

Apatia

Sara Oriana

Somente o silencio me acompanha

Como uma paz sem o ser

Não só a alegria me estranha

Mas a tristeza já não tem porque aparecer

E o silencio acompanha-me

A par com o meu vazio, compreende-me

E eu, eu caminho apática

 

Mil e uma pessoas, mil e uma aventuras

E eu não quero nada, somente o silencio

Caminhar por mil e um caminhos, pequenas ruas

E na pele sentir o calor e o frio

Fazer tudo, atingir a sobrenatural calma

No entanto nada me olha, nada me chama

E eu, eu caminho apática

 

Os sonhos deixaram de existir

Mas não lhes sinto a falta

Agora caminho observando, sem nada sentir

Mas não necessito, nem disto fico farta

Sou somente o que era suposto ser

E até ao dia que morrer

Eu, eu caminho apática

04
Fev09

Recomeço

Sara Oriana

Começo de novo o rumo de sempre

Aquele que sempre começo e nunca acabo

Aquele que volto atrás porque acho que não consigo

Aquele cheio de hesitações, de preguiça

Acomodações!

 

Mas hoje quero ser melhor,

Mesmo que já seja noite, quero tentar

Não quero ceder ao faço amanha, não hoje

Hoje... que palavra abrangente, hoje não

Agora, Neste momento, neste preciso milésimo de segundo!

 

Que seja inverno, que chova, que neve,

Que venha a maior tempestade, o maior vendaval

Estou farta de nadar na minha própria miséria.

Não tento porque posso falhar... pobre idiota

Morte a essa saga! A esses pensamentos medíocres!

 

Neste momento largo este cadáver de cobardia

Porque ter medo de viver, de arriscar, de perder

Não só nos priva do que é bom, como ainda

Nos consome por dentro.

Que tudo isso desapareça, e que dê lugar a mim.

08
Jun08

Caminho

Sara Oriana

Cá ando, dia após dia, noite após noite

Vivendo um mar de emoções,

Cansada do que foi perder-te

Talvez já não há choros,

Secam-me as lágrimas aos poucos

 

Mas procuro-te todos os dias

Vejo-te mil vezes mais

Pergunto-me o que dizer querias

Invento momentos inrreais,

Imagino, o que não pode ser...

 

E no fim... no fim não há nada

Por muito que espere, não te vejo

Por muito que desespere, não tenho o que desejo

Peço, imploro aos céus, só um olhar só mais um

 

Nada, e assim pereço

Não me riu da mesma maneira,

Não sou nada do que era

Perco-me mil vezes, para voltar a ser eu

Mas de cada vez sou menos,

Os outros perco-os aos poucos

Cada vez tou mais preocupada

E cada vez mais perdida...

 

Ninguém me pode ajudar

E eu, sinto-me fraquejar...

 

E cá caminho, sem vontade de caminhar

Com a minha cabeça a pregar-me partidas

A tentar estancar as minhas feridas,

Apenas para poder voltar a viver, voltar a sonhar...

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D