Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

10
Jun09

Viva de novo

Sara Oriana

É tão bom sentir-me viva de novo

Caminhar sem medo de cair

Andar livre, caminhar e sentir

Não me preocupar, amar-me por fim

 

Paro de sonhar, de divagar

Quero sugar tudo o que a vida me tem para dar

Viver aquilo que me aparece,

Colher somente o que me apetece

 

Viver para mim, perder-me assim

Amando o mundo, respeitando-o

Caminhando cantando, sonhando-o

 

Gritar sem medo de o fazer por fim

Rir até não mais poder, viver a liberdade

Sem me comprometer, sem sentir nenhuma saudade

08
Abr09

Quem sou

Sara Oriana

Quem sou eu? Neste momento sou nada

Um reflexo no espelho banhado em lágrimas

Uma imagem, em mil pedaços partida

 

Quem sou eu? Nada, estou perdida nestas tramas

Perdida, só sinto dor, sou-a de todo

Desfiada, rasgada e embaraçada, tantas mágoas...

 

Quem sou eu? Ninguém, um coração partido

Moribunda, sem o estar, e isso revolta-me mais

Vazia de emoções, mas com a pior de todas bem no fundo

 

Quem sou eu? Tudo, sem ser nada demais

Vazia até ao tutano, Não há nada, ninguém

E eu quero, como tudo o que fui, desaparecer também

 

14
Set08

Sorte

Sara Oriana

Quantas pessoas podem dizer:

 

Eu cabecei-o em todas as portas,

Encalho em todas as quinas,

Tropeço em todas as pedras,

Caio em todas as partidas,

Apanho duches de pneus de carros,

Deixo as chaves dentro de casa,

Derramo tudo,

Tudo me salta das mãos,

Faço pinturas não propositadas nas roupas,

Quase que incendio a casa,

Perco tudo o que são transportes publicos...

Tenho de ir para longe, quando amo e sou amada...

 

Mas digo, sou a rapariga mais abençoada.

19
Ago08

Amanhecer

Sara Oriana

Por entre um lindo amanhecer vejo-me,

Vejo-me sentada contigo a meu lado,

Num completo jardim pelo suave vento acarinhado

E nesta paz, neste momento, perco-me...

 

E perco-me na doçura de mais um olhar

Perco-me na doçura de um pestanejar

Perco-me no calor do teu corpo junto ao meu

Perco-me neste tudo que o mundo me deu

 

E tu ali, perfeito como só tu poderias ser

E eu ali, como uma criança maravilhada, olhando

Na perfeição do momento fico pensando

O quão maravilhoso e junto a mim te ter...

 

E por tudo isso ainda te desejo mais junto a mim

Mas a distancia condena-me a apenas imaginar-te assim

E por quantas vezes me quero perder dentro da minha cabeça

Para que o tempo passe bem mais depressa

 

Mas nada acontece a não ser o desejar cada vez mais...

Nada acontece para alem de te querer cada vez mais...

 

E nestes momentos dava tudo para te tocar,

Para te poder olhar

Te poder abraçar

E finalmente te beijar...

 

Mas fico apenas esperando,

 Contando cada milésimo de segundo

Para te ter aqui assim.

18
Ago08

Há dias...

Sara Oriana

Há dias que o mundo nos foge das mãos...

E não é que ele nos fuja mesmo,

Nós e que nos perdemos por entre tantos senãos...

E mesmo que tentemos ver tudo como é... óptimo...

Mesmo que tentemos virar tudo ao contrário

Esquecer tudo o que é assim precário

 

Nada acontece, e sabe-se lá porquê por dentro não há nada

E esse nada que nos corrói, que nos faz sentir o âmago da solidão

Apenas porque tudo esta longe, e a nossa alma sente-se abandonada

Mas sem razões para isso, porque não o foi não,

Mas mesmo assim... mesmo assim nos dói por dentro

E essa saudade, a que eu me julgava imune, foi o que me trouxe o vento...

 

E por muito que as lembranças pudessem acalmar-me

Agora quase que se escapam, como fumo por entre o vento

E eu cada vez vejo o quão difícil e o quão heróico é aguentar-me

E cada vez quero mais fugir de tudo o que me rodeia, refugiar-me no que sinto

Nas pequenas enormes peculiaridades da minha mente

Essa que costuma dar-me tudo, e muito mais do que aparentemente

 

Mas nestes momentos, nem a minha mente, nem a vontade me salvam

E como não há mais nada, começo a perder-me na minha bola de vidro

No mundo que me salvava, que agora me consome, a saudade, a solidão 

E poderia implorar que me salvasses de tudo isso, conseguirias limpar-me por dentro

Mas o medo de lágrimas infrutíferas, de te talvez mostra mais do que alguma vez mostrei

Tira-me a coragem necessária para pedir ajuda, mas será sempre o que hoje pensei

 

E por isso não e preciso dizer nada, apenas que estou arreliada

Sei que farias o que te pedisse, acredita não e possível sentir-me mais amada

Mas por vezes a saudade corrói-me de uma forma que eu nunca calculei

E outras sou bem mais, e sinto bem mais do que alguma vez esperei...

29
Jul08

Nós

Sara Oriana

Neste momento descrevo o inexplicável,

Sinceramente não sei que escrevo mesmo,

Sei que é sobre mim, que é sobre ti

Mas há coisas, demasiado grandes e pequenas

Demasiado avassaladoras para as descrever assim...

 

E nós, somos assim, grandes e pequenos,

Demasiado grandes e pequenos, demasiado para o mundo

Tu com os teus batuques, eu com o meu silencio

 

Somos cada dia e cada noite, o sol, a lua

Somos a luz e a bruma

Somos tudo aquilo que o outro não é

 

E lutar por tudo isto, não é sacrifício, é a plenitude

É lutar por aquilo que vale a pena, é tudo o que o mundo quer

E nós temo-lo

 

A  distancia que nos tente afastar

O mundo que nos separe

O destino que de tudo nos impeça

 

Estaremos sempre juntos,

Se não física, psicologicamente,

E a sorte que nos tente!

 

Não há nada que quebre duas mentes plenas

Nada que seja tão difícil de danificar,

Como nós, e as nossas crenças!

13
Mai08

Loucura ou Sensatez

Sara Oriana

Loucura e sensatez...

Quão tenue a distância,

Tão tenue... que estupidez....

Tenho tudo e com isso quero acabar

Porquê? Sensatez.... Sapiencia...

 

Não, nem tanto, quem quero enganar?

Loucura, acto insano, sofrimento demais

Vou instaurar uma dor ainda maior

Mas quero ar

Agora quero respirar fundo...

Destruir o meu mundo...

Porque se não o destruir,

morro porque já cá não estou...

De cabeça quero cair,

Quero sentir quem sou...

 

Digam que é loucura, porque o é

De sensato tem tão pouco,

Mas hoje arriscarei...

Amanha tudo serei...

Mas estarei morta!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D