Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

06
Abr12

A ti que que nunca te escrevi...

Sara Oriana

A ti que que nunca te escrevi...

Não sei porquê, talvez nunca tanto senti

Talvez as palavras traíram-me ou fugiram de mim

Talvez pensei que tudo já tinha sido dito

Talvez tive medo que visses, Talvez tive medo do fim

 

Talvez estava a espera das palavras certas

Talvez de uma obra prima,

Ou achei que a minha poesia não era digna

 

Mas não é desculpa, não é desculpa a minha poesia não ser digna

Ela é como eu, ela é simples, ela é sentida, ela é desarrumada

Ela é tanto doce como amarga, ela é o esboço do que poderia ser

Ela é sonhos e amores e desamores, ela é sentimentos,

Ela é incompleta e de alguém que não é poeta

Ela é confusa, ela não é pensada, nem reescrita

As vezes rima outras não, as vezes tem forma outras não

 

Mas acho que não, Sei que não

Nunca quis proferir as palavras porque doeria demais

Doeria demais não as ouvir de volta,

Nunca quis escrever por medo de sentir

Por medo de me perder, por medo de me esquecer

 

E tu, tu que lidas com este emaranhado de mim

E me acalmas e sem dizer nada dizes que está tudo bem

Que não vai acontecer nada que vai tudo correr bem

 

E no entanto eu não quero falar, não quero escrever

Não te quero dizer, nem te quero escrever

Somente falei de ti em poemas, escrevi-te antes de tudo

Mas depois, depois de te ter comigo, faltou-me a coragem

A coragem para me entregar, a coragem para te amar

 

Por isso hoje escrevo-te, somente para te dizer

Se ainda não for tarde demais, que te amo,

Que sou tua de uma maneira que nunca fui de ninguém

E que todas as vezes que ralhei foi por saudade

Todas... Incluindo as que bati o pé, e que virei costas

Todas as vezes que não disse o que sentia,

Era porque não queria que me visses fraca... que me visses humana

 

E por tudo isto peço desculpa, porque ninguém tem mais direito ás minhas palavras

Ninguém tem mais direito as minhas lágrimas e as minhas gargalhadas

Ninguém tem mais direito ao meu coração, e de ver a minha alma

Ninguém

 

 

 

 

 

 

05
Ago09

Um belo caminho que me leva a lado nenhum

Sara Oriana

Um belo caminho que me leva a lado nenhum

Ou levaria se o seguisse, se o pisa-se, se o percorre-se

Mas eu quero percorre-lo, passo a passo, saborear cada um

E os conselhos atormentam-me, mas é como que me esquece-se

 

Começo mesmo a andar, mesmo a caminhar

Penso em tudo, e no fim, bem no fim

Sei que o vou caminhar, porque não me interessa aqui ficar

Pois mesmo assim, lado nenhum, há de ser algum lugar

 

Bom ou mau, quero vê-lo descobri-lo decifra-lo

E depois? Depois é futuro e lá logo me chateio

21
Jan08

A pintura de minha alma

Sara Oriana
A minha alma é mero esboço
Linhas do que fui, bases do que ei de ser
Mas uma coisa eu sei, que colorida ei de ser
Mais do que sou e do que alguma vez fui
Sou pintura de um grande artista
Mas não me confinarei a museus,
Não sou para ser espreitada
Tenho horror  a ser analisada
Não não... jámais farei parte de museu
Serei sim quadro de colecção privada,
Mas sem dono, nem que fique no abandono
Como se pernas tivesse e anda-se por onde quizesse

E que cores terei... cores mais belas que a própria cor
Luminosas e vivas, carregadas de força e vivacidade
Cores que por onde passarem, deixarão saudade
Mas serei tão abstrata,
Que quem me olhar de perto, mais confuso ficará
Mais fascinado e maravilhado
Oh... mas um quadro jamais será amado
Belo mas mais nada que decoração de parede
Mas que destino terá então
Este pobre que já nem têm coração...
17
Jan08

A preparação

Sara Oriana
O sol começa a raiar pela janela
Eu estou de frente para ela
Altiva e inexpressiva
A luz vermelha banha-me
Olhos brilhantes, Deus queira que sobreviva...

Hoje as feminidades abandonam-me
Enlaço os meus caraçóis numa trança
As nuvens laranja banham o céu
E antevejo a matança
Hoje reaverei o  que é meu...

Visto cota de malha, e armadura
Conheço-me a mim, e por isso estou segura
Porque nenhuma armadura vence uma batalha
É na arte da espada que tudo se talha

Hoje terei meu coração de volta
E se não o reaver, continuarei até morrer
Da mãe das sombras não tenho medo, pois sem ele já estou morta

Hoje serei una, e una serei para sempre

Dá-me força meu guia, que me sopras
Dá-me força minha mãe que das profundesas me sunsurras
Dá-me força meu pai, ilumina-me das sombras

Olho-me no espelho e vejo
Hoje não sou deusa pois desejo
Hoje sou nada mais que humana
E hoje serei heroína!

Com a rosa no peito desenhada
Sou mais que abençoada

As mãos suaves e pricinpenscas
Agora estão mais que calejadas
Hoje não me bambolei-o
Hoje marcho!
15
Jan08

A dança ao vento

Sara Oriana
E hoje estou bem, e como estou bem
Quero que tudo assim esteja também!

E para isso danço no silencio
Ao ritmo de uma música que não existe
Mas, na mesma, rodopio
Brilho e estou sorridente

Hoje tudo poderia cair
Mas eu continuaria a rir
Ao som dessa linda música
Essa que é unica

Não tem nome, não percisa
Não tem palavras, é silenciosa
Mas sinto-me a voar
Sinto-me pairar

E de verdade, não tenho razão
Estou simplesmente feliz, e livre
Calmo e sereno, bate o meu coração
E dançaria assim para sempre

O vento envolve-me, os meus caracóis
Rebeldes, castanhos e brilhantes, rodopiam pelo ar
Dando um tom terra ao meu rodopiar
Brilho, brilho mais que nunca!

E a felicidade e plenitude
Brilha nos meus olhos
Que são nada mais que espelhos
De toda a minha felicidade

Sou insana, hoje sou insana
Não interessa, sou brilhante na mesma
Sou apenas uma criança
Com ums vida cheia de esperança...
10
Jan08

A Besta

Sara Oriana
Meu Deus... Sinto uma força colosal
Tenho uma besta em mim a despertar
Por favor ajudem-me, isto é fatal
De tanto segura-la, começo a lacrimejar

Por favor, eu apenas quero voltar a mim
Eu não quero que acabe assim

Ajudem-me, por favor
Isto de tanto ódio já é dor
Ou nem seu se a dor é que já é ódio
Mas estou presa por um fiu

Caio, em mim, não me quero perder
E no fim acabarei por o fazer

Não me quero conformar!
Isso não pode acontecer!
A unica coisa que ela fará será matar
E eu não quero morrer!

05
Out07

A minha masmorra

Sara Oriana
De tanto pensar e de tanto julgar
Acabei por me perder nesta masmorra
Até me impedi de sonhar
E ao tentar pôr, cada vez mais, os pés na terra
Acabei caindo num poço

Poço não, calaboço
Porque os poços têm saida
Neste , construi-o e meti-me cá dentro
E neste plano perfeito
Fiquei perdida.

Agora pereço porque o sol não brilha
Agora arrefeço, e apodreço
O meu coração congela,
E quanto mais me tento impedir de errar
Mais o faço, sem cessar

Ediondo caracter, este que criei
Nem me reconheço!
Mas agora jámais o repetirei
Pois o que não me esquecerei, é este preço
O preço que tive de pagar
Por tentar me controlar

Mas agora porei, por fim, uns pontos nos "i"s
Pois agora, partirei as ridiculas barreiras
Eu sou bem mais forte que elas
E conquistarei, por fim, o que sempre quis
Sem regras e longe da convenção
Viver, muito para além da razão.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D