Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

03
Jun14

Poeira

Sara Oriana

O mundo agarrou em mim despedaçou-me

O sol queimou todos os pedaços

A água lavou a cinza que o sol deixou

O vento ensinou-me a voar

E a terra acolheu-me no seu regaço

 

Mas nem mesmo ai existe descanso

O ciclo repete-se, até que a tontura vença

E mesmo assim, continua até que pereça

 

Digo-me já ter sido feita em tantos pedaços 

Que mais nada sou que areia

 

Mas o que me custa mais é o que poderia ser

O que custa mais é que nada é meu e nada posso ter

Tudo perco e tudo vou perder

 

E de areia passo a pó e de pó passo a poeira, 

E assim continua até ficar sólida de novo, se a isso chegar

e a poeira volto, desesperada e a chorar

 

15
Abr12

filho do Sol

Sara Oriana

Trinta faz o guardião, que não despertou

Trinta faz o guardião que irá despertar

Nessa noite em que o tempo é limpo

E que a energia reina em demasia no ar

Na noite de mais um dia ele despertará

E caminhará pela noite como o rei sol

Abençoará a terra como o rei sol

Purificará as pedras como o rei sol

Aprenderá e ensinará como  rei sol

Como seu filho, Desviado, que se encontrou

Na eterna linha do destino será abençoado por fim

E todo o karma será vivido e ensinado

Não haverá misericórdia, para o príncipe sol

Mas ele não percisará, porque cedo será capaz de ver

Cedo será capaz de arriscar e viver

Cedo encontrará o seu caminho

Cedo será guiado e ensinado pela Luz

Pela protecção e experiencia divina

 

E a filha da terra e da agua, seguir-lhe-á

porque esta somente despertará depois dele

Porque ele é a Sua energia, a Sua Força

Ele é o caminho que Lhe foi vedado

Ele Guarda o Selo que ela se impôs

Ele é o karma dela, as lições aprendidas e por aprender

Ela será livre finalmente, depois da ultima chave se abrir

Depois de ela ser, finalmente somente ela

E ele ser finalmente ele, e todas as teias e conexões

Se Quebrem por fim, Criando a Una

O filho do fogo e do ar, e a princesa da agua e da terra

Marcaram o inicio, o inicio do fim desta Era

03
Ago09

Hoje sou feliz

Sara Oriana

Hoje sou o vento quente que acarinha as folhas, sou eu aquela brisa quente, que a todos toca que a todos acarinha, sou paz, sou felicidade, sou uma criança perdida no meu próprio mundo.

Não me canso de amar tudo, não me canso de aproveitar, não me canso de viver nem por um segundo.

Sou a luz da lua que brilha por entre as ondas brandas de uma noite de Verão, cintilando tenuemente entre a escuridão do mundo, conjuntamente com todas as outras luzes. Sou-o porque o quero ser, porque o sinto nas veias, porque me amo, e por isso amo o mundo em meu redor. Nada importa nada interessa, somente eu, somente o mundo. Somente aqueles pequenos momentos que a vida nos dá para ver, para viver, somente os detalhes, as cores cintilantes provenientes de um candeeiro de rua. A vibração do verde nas folhas ao sol, o azul ciano brilhante do céu, a noite escura e todas as suas estrelas.

Tudo isto, todo este conjunto inspira-me. eleva-me, acalma-me e fascina-me.

Hoje sou feliz.

29
Jul08

Nós

Sara Oriana

Neste momento descrevo o inexplicável,

Sinceramente não sei que escrevo mesmo,

Sei que é sobre mim, que é sobre ti

Mas há coisas, demasiado grandes e pequenas

Demasiado avassaladoras para as descrever assim...

 

E nós, somos assim, grandes e pequenos,

Demasiado grandes e pequenos, demasiado para o mundo

Tu com os teus batuques, eu com o meu silencio

 

Somos cada dia e cada noite, o sol, a lua

Somos a luz e a bruma

Somos tudo aquilo que o outro não é

 

E lutar por tudo isto, não é sacrifício, é a plenitude

É lutar por aquilo que vale a pena, é tudo o que o mundo quer

E nós temo-lo

 

A  distancia que nos tente afastar

O mundo que nos separe

O destino que de tudo nos impeça

 

Estaremos sempre juntos,

Se não física, psicologicamente,

E a sorte que nos tente!

 

Não há nada que quebre duas mentes plenas

Nada que seja tão difícil de danificar,

Como nós, e as nossas crenças!

08
Jul08

Despertar

Sara Oriana

 

 E cá me envolvo de novo no meu ser

Na minha felicidade excessiva,

Mais real que qualquer outra, mas sem amor,

Porque ainda não sei bem que fazer,

Mas certa estou de que voltei a mim,

Embora ainda não me tenha livrado do teu calor,

Mas sei que isso terá, um dia, fim.

 

Hoje é dia de sorrir, sorrir como nunca

Sorrir assim simplesmente, por razão nenhuma

Rir-me para a sorte que não me sorriu,

Rir-me para a vida que sempre me acarinhou

Rir-me de tudo o que me partiu

Rir-me de mim, porque ainda não passou.

 

Mas sei que rir-me-ei com gosto

Porque não há razões para chorar

Sopra o vento

E deixarei o sol raiar...

 

 

17
Jan08

A preparação

Sara Oriana
O sol começa a raiar pela janela
Eu estou de frente para ela
Altiva e inexpressiva
A luz vermelha banha-me
Olhos brilhantes, Deus queira que sobreviva...

Hoje as feminidades abandonam-me
Enlaço os meus caraçóis numa trança
As nuvens laranja banham o céu
E antevejo a matança
Hoje reaverei o  que é meu...

Visto cota de malha, e armadura
Conheço-me a mim, e por isso estou segura
Porque nenhuma armadura vence uma batalha
É na arte da espada que tudo se talha

Hoje terei meu coração de volta
E se não o reaver, continuarei até morrer
Da mãe das sombras não tenho medo, pois sem ele já estou morta

Hoje serei una, e una serei para sempre

Dá-me força meu guia, que me sopras
Dá-me força minha mãe que das profundesas me sunsurras
Dá-me força meu pai, ilumina-me das sombras

Olho-me no espelho e vejo
Hoje não sou deusa pois desejo
Hoje sou nada mais que humana
E hoje serei heroína!

Com a rosa no peito desenhada
Sou mais que abençoada

As mãos suaves e pricinpenscas
Agora estão mais que calejadas
Hoje não me bambolei-o
Hoje marcho!
05
Out07

A minha masmorra

Sara Oriana
De tanto pensar e de tanto julgar
Acabei por me perder nesta masmorra
Até me impedi de sonhar
E ao tentar pôr, cada vez mais, os pés na terra
Acabei caindo num poço

Poço não, calaboço
Porque os poços têm saida
Neste , construi-o e meti-me cá dentro
E neste plano perfeito
Fiquei perdida.

Agora pereço porque o sol não brilha
Agora arrefeço, e apodreço
O meu coração congela,
E quanto mais me tento impedir de errar
Mais o faço, sem cessar

Ediondo caracter, este que criei
Nem me reconheço!
Mas agora jámais o repetirei
Pois o que não me esquecerei, é este preço
O preço que tive de pagar
Por tentar me controlar

Mas agora porei, por fim, uns pontos nos "i"s
Pois agora, partirei as ridiculas barreiras
Eu sou bem mais forte que elas
E conquistarei, por fim, o que sempre quis
Sem regras e longe da convenção
Viver, muito para além da razão.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D