Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

10
Mar16

Desapareço...

Sara Oriana

Tu, belo e sereno, levando a vida

Com o teu transbordar de charme

Com o teu cigarro e a tua bebida

Como se o mundo teu fosse

 

E eu aqui já meio desaparecida

Quero virar mesas e partir pratos

Vês , apenas, como mais um dos meus prantos

E não vês, estás cego com o mundo do nada

 

E eu não viro os pratos nem as mesas,

Mas matuto, e se o fizesse?

E se virasse o mundo gritasse e chorasse?

Ver-me-ias? Aperceber-te-ias?


Serei eu o problema? Serei eu a falar demais

Serei eu a ser demais a sentir muito mais?

Dizes ser normal, tudo ser normal

Que com o tempo as coisas acalmam, não há mal

 

Serei demasiado dedicada? Estarei a sufocar-te?

Terei eu me desleixado? Terás tu te acomodado?

Milhares de perguntas que me atravessam a mente

Terão as palavras acabado? Desapareço...

 

26
Jan16

Beijo

Sara Oriana

Olho-te, o meu coração pára por um momento,

O tempo deixa de ser tempo, os teus olhos

Gigantes castanhos prendem-me, estás perto

Sinto a tua respiração, disparam-me os sentidos

 

A tua mão pega-me cuidadosamente na face

Os meus lábios abrem-se num sorriso leve

Tu aproximas-te, os teus lábios tocam-me

Na bochecha, timidamente

Carinhosamente, eu beijo-te

 

E o tempo pára, o mundo pára,

O meu coração dispára

A pele arrepia-se, transformo-me em calor

Desejo, Um carinho, verdadeiro amor

Sinto cada toque cada carícia

 

Puxas-me para ti pela anca

Passo a mão nos teus cabelos,

Que isto não páre nunca!

Fogo, Desejo, Amor,

Tornamo-nos.

 

 

 

11
Fev11

Mas

Sara Oriana

Deixem-me ser a brisa que passa,

Deixem-me voar no meu mundo

Deixem-me sonhar na minha alma

Deixem-me consumir tudo

 

Deixem soar o silencio no ar

Deixem que me perca uma vez

Deixem a tempestade soar

Deixem que eu a sinta de vez

 

Deixem-me mas...

 

Desagarrem-me antes do mundo

Desagarrem-me da gente

Desagarrem-me do que é terreno

Desagarrem-me do existente

 

Desagarrem as folhas na chuva

Desagarrem a matéria de mim

Desagarrem o medo da bruma

Desagarrem tudo por fim

 

Desagarrem-me mas...

05
Ago09

Um belo caminho que me leva a lado nenhum

Sara Oriana

Um belo caminho que me leva a lado nenhum

Ou levaria se o seguisse, se o pisa-se, se o percorre-se

Mas eu quero percorre-lo, passo a passo, saborear cada um

E os conselhos atormentam-me, mas é como que me esquece-se

 

Começo mesmo a andar, mesmo a caminhar

Penso em tudo, e no fim, bem no fim

Sei que o vou caminhar, porque não me interessa aqui ficar

Pois mesmo assim, lado nenhum, há de ser algum lugar

 

Bom ou mau, quero vê-lo descobri-lo decifra-lo

E depois? Depois é futuro e lá logo me chateio

03
Ago09

Hoje sou feliz

Sara Oriana

Hoje sou o vento quente que acarinha as folhas, sou eu aquela brisa quente, que a todos toca que a todos acarinha, sou paz, sou felicidade, sou uma criança perdida no meu próprio mundo.

Não me canso de amar tudo, não me canso de aproveitar, não me canso de viver nem por um segundo.

Sou a luz da lua que brilha por entre as ondas brandas de uma noite de Verão, cintilando tenuemente entre a escuridão do mundo, conjuntamente com todas as outras luzes. Sou-o porque o quero ser, porque o sinto nas veias, porque me amo, e por isso amo o mundo em meu redor. Nada importa nada interessa, somente eu, somente o mundo. Somente aqueles pequenos momentos que a vida nos dá para ver, para viver, somente os detalhes, as cores cintilantes provenientes de um candeeiro de rua. A vibração do verde nas folhas ao sol, o azul ciano brilhante do céu, a noite escura e todas as suas estrelas.

Tudo isto, todo este conjunto inspira-me. eleva-me, acalma-me e fascina-me.

Hoje sou feliz.

12
Jun09

Brilhante

Sara Oriana

Brilhante, encontro-me brilhante perante os meus iguais,

Sem medo de nada, sou extremamente abençoada

O mundo caminha e eu brilho entre os demais

Porque sou feliz, tão feliz, tenho o mundo, tenho a alma

Vivo assim, vivendo como quem ama

Amando tudo, de igual forma, com a minha calorosa intensidade,

Sou feliz, O Verão chama por mim como o seu derradeiro apelo

O calor, o sol, a luz, toma conta de mim, partilha comigo a sua amizade

E eu? Eu salto e riu, porque não há melhor para fazer, que momento belo

Estou em mim outra vez, intensa e bela, derradeira e forte

Uma borboleta rara, um pássaro que voa alto

Sou a pura sorte, O gargalhar que já não chora

Sou um sorriso só, A pura felicidade que de nós anda tão perto

Sou eu só eu, com o meu brilho sublime

Riu, canto e danço, tentando nisto para sempre perder-me

 

10
Jun09

Viva de novo

Sara Oriana

É tão bom sentir-me viva de novo

Caminhar sem medo de cair

Andar livre, caminhar e sentir

Não me preocupar, amar-me por fim

 

Paro de sonhar, de divagar

Quero sugar tudo o que a vida me tem para dar

Viver aquilo que me aparece,

Colher somente o que me apetece

 

Viver para mim, perder-me assim

Amando o mundo, respeitando-o

Caminhando cantando, sonhando-o

 

Gritar sem medo de o fazer por fim

Rir até não mais poder, viver a liberdade

Sem me comprometer, sem sentir nenhuma saudade

03
Jun09

Retorno

Sara Oriana

E eu gostaria de celebrar o meu retorno

A minha magnanimidade absoluta

A minha vitória o meu renascimento

O fim desta terrível luta

 

E sonho, volto a sonhar

Anseio, voltei a ansiar

Temo, temo muito

Mas quero o absoluto

 

E vôo para longe do negro,

Para longe das sombras do ermo

Vôo para não voltar

Agora, aventuro-me

 

Uma aventura em que eu sou una

E em que amo tudo o que me rodeia

Estou livre, estou nua

 

Livre da minha própria teia

Sou somente eu, finalmente

E espero ficar assim para sempre

 

24
Mai09

Sombras

Sara Oriana

As sombras da casa caiem sobre mim

Desabrocham por todos os cantos

E eu? Eu vou chorando por fim

Sussurram coisas doces, encantos

Falam-me da beleza do passado

E o meu coração dói ao ficar apertado

 

Jorra-me um rio de lágrimas

Jorra-me um sem fim de tristezas

E elas continuam a nascer

Como flores pelos cantos,

Tornando ainda mais difícil te esquecer

Flores negras, relembrando-me de momentos

Amaldiçoadas, envolvem-me no breu

Com uma bela canção acerca do que foi meu

 

A dor alastra-se e eu tremo, soluço, encolho-me

Berro sofrida, escondo-me e abraço-me

Agarro o peito como que alvejada

Mas não o fui não está lá nada

Depois acabo por sossegar, conformada

Relembrando-me que apesar de tudo fui amada

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D