Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

01
Set16

Paredes

Sara Oriana

Mulher forte, mulher de garra, digo ser

Com tantas paredes e labirintos, que me consegui perder

E olho o mundo lá fora, com já tão pouco de mim

Vejo todos a fugir, todos a desaparecer enfim

 

E choro na minha prisão por mim erguida

Tento agarrar o pouco que aqui está ainda

Mas já está tudo de partida

E eu deixo tudo ir, destroçada

 

Porque me vêem assim tão imponente?

Sou apenas humana, tenho alma, sou gente

Luto pela vida como qualquer um de vós

 

Quero gritar pela ajuda que nunca vou ter

Quero fazer uma birra para que possa prender-vos

Mas não o farei, o orgulho comanda o meu ser.

 

04
Jan16

Criança Escondida

Sara Oriana

Caminho, criança, num mundo de adultos

Para mim ainda é tudo a brincar, digo

Mas os olhares caem sobre mim, maduros

E eu sorrio e caminho, não há perigo

 

Mas o tempo trás peso e culpa

E eu cada vez mais fico sem desculpa

Olham-me severamente, e eu estremeço

Deixem-me estar! É tudo o que peço!

 

Mas a persistência do mundo devora-me

Vou-me transformando numa farsa

E brinco que sou o que não sou, perco-me

Riu, Grito, Choro dentro de uma carapaça

 

Envolvo-me na intricada teia do mundo

Do que deve ser e do que é suposto ser

Brinco aos grandes, ponho saltos altos e tudo

Esqueço-me do que sou, dói-me o ser

 

Conformo-me aos quadrados, mas não o sou

As obrigações, as suposições fazem-me tremer

Já ninguém me conhece, nem me consegue ver

Na minha suposta liberdade, emaranhada estou

 

Quero fugir, quero desaparecer, e tudo largar

Quero pintar voltar a sonhar e voltar a viver

Quero o meu tempo de volta, o meu sonhar

Quero me a mim, de volta, antes de perecer

03
Jun14

Poeira

Sara Oriana

O mundo agarrou em mim despedaçou-me

O sol queimou todos os pedaços

A água lavou a cinza que o sol deixou

O vento ensinou-me a voar

E a terra acolheu-me no seu regaço

 

Mas nem mesmo ai existe descanso

O ciclo repete-se, até que a tontura vença

E mesmo assim, continua até que pereça

 

Digo-me já ter sido feita em tantos pedaços 

Que mais nada sou que areia

 

Mas o que me custa mais é o que poderia ser

O que custa mais é que nada é meu e nada posso ter

Tudo perco e tudo vou perder

 

E de areia passo a pó e de pó passo a poeira, 

E assim continua até ficar sólida de novo, se a isso chegar

e a poeira volto, desesperada e a chorar

 

04
Fev09

Recomeço

Sara Oriana

Começo de novo o rumo de sempre

Aquele que sempre começo e nunca acabo

Aquele que volto atrás porque acho que não consigo

Aquele cheio de hesitações, de preguiça

Acomodações!

 

Mas hoje quero ser melhor,

Mesmo que já seja noite, quero tentar

Não quero ceder ao faço amanha, não hoje

Hoje... que palavra abrangente, hoje não

Agora, Neste momento, neste preciso milésimo de segundo!

 

Que seja inverno, que chova, que neve,

Que venha a maior tempestade, o maior vendaval

Estou farta de nadar na minha própria miséria.

Não tento porque posso falhar... pobre idiota

Morte a essa saga! A esses pensamentos medíocres!

 

Neste momento largo este cadáver de cobardia

Porque ter medo de viver, de arriscar, de perder

Não só nos priva do que é bom, como ainda

Nos consome por dentro.

Que tudo isso desapareça, e que dê lugar a mim.

19
Jul08

Confusão

Sara Oriana

Meu deus... já nem sei se falo verdade ou mentira

Se apenas me quero agarrar ás recordações

Para não amar no futuro, para permanecer partida

E cada passo me é mais pesado, como se carrega-se o mundo...

E tudo por medo, medo de desilusões,

Ou do destino me levar a perder isso tudo...

 

Mas quanto mais eu quero as coisas,

Estranhas elas me parecem, porque são tudo o que queria

E nada do que pedi...

Mas apenas acontecem em momentos errados...

E aquilo que mais me sorria

Torna-se a maior dor que já senti...

 

Eu não queria nada, não queria nada,

Mas agora que tenho, ainda me sinto mais perdida

 

E agora tenho alguém que não pedi

E sentimentos passados vão se apagando...

Mas no entanto, o meu coraçaõ ainda não cedi,

E o destino, agarrou.me outra vez, e se ceder, perderei tudo...

 

E tu quando me consolavas dizias, há coisas que não são para ser

E pelo vistos, és mais uma, e por isso acabarei por te perder...

18
Out07

Brisa

Sara Oriana
Brisa que me tocas de leve
Leva daqui a minha mágoa
Tras-me a paz que nunca tive
Faz transbordar lágrimas desta lagoa
Tira este sufoco de mim
Põe a este tormento um fim
E vira esta página da minha vida
Da mesma forma que o fazes com o meu caderno
Não quero mais estar perdida
Quero um sonho doce e ameno

Levemente, Suavemente
Leva-me e não me tragas de volta
Tu que és tão suave
Tira-me simplesmente daqui
Liberta-me desta saudade

Mas no fim acabo sempre por pensar em ti
E este sonho perdido
Não me liberta, não me deixa
Culpa da brisa que se desleixa
E na docura de um sonho
Perco-me a mim, perco-te a ti
Porque a realidade é bem diferente
Porque a realidade é aquilo que sinto e já senti
Em eu choro e grito, num mundo inexistente
Mas aqui, apenas te observo
Cada vez mais distante
E no meu caderno assim o descrevo
Este amor tão desgastante...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D