Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

25
Nov12

Percebi

Sara Oriana

Hoje Não quero saber, simplesmente

Estou Feliz, estou feliz porque percebi

Finalmente, Que não quero saber

Estou farta de tudo o que sinto e senti

Do que vejo e do que não vejo

 

Hoje estou feliz, porque percebi

Percebi que enquanto existir um sorriso

Terei certamente tudo o que preciso

Um coração quente porque sorri

Outro porque alguém lhe sorriu

 

Estou farta de lamentar as minhas desgraças

e de me esquecer de todas as outras coisas

 

Haverá sempre maus pedaços, e confusões

Haverá sempre más pessoas e corrupções

Mas também haverá boas pessoas e amores

E vidas e ajuda e abraços beijos e flores

Haverá sempre trabalho acabado e por fazer

 

Por isso, desculpem, mas não quero saber

Ajudarei quem poder ajudar irei sorrir

Irei dar o que tenho de melhor, por isso

Deixem-me sonhar viver e rir

 

Hoje não me preocuparei mais 

Com problemas com solução...

03
Jun09

Retorno

Sara Oriana

E eu gostaria de celebrar o meu retorno

A minha magnanimidade absoluta

A minha vitória o meu renascimento

O fim desta terrível luta

 

E sonho, volto a sonhar

Anseio, voltei a ansiar

Temo, temo muito

Mas quero o absoluto

 

E vôo para longe do negro,

Para longe das sombras do ermo

Vôo para não voltar

Agora, aventuro-me

 

Uma aventura em que eu sou una

E em que amo tudo o que me rodeia

Estou livre, estou nua

 

Livre da minha própria teia

Sou somente eu, finalmente

E espero ficar assim para sempre

 

06
Abr09

Amo-te(e pago por isso)

Sara Oriana

Amo-te tanto, E sei também que não devia

Não devia amar-te assim, não devia perdoar-te assim

Não devia pensar sequer em ti, relembrar-te muito menos

Mas assombra-me tudo isso que eu queria

Estou perdida, sinto-me sem vontade e sem fim

Nem pensas em mim, e tu até estás nos meus sonhos...

 

A raiva que me jorra no peito, não é mais que mágoa

Revolta porque me iludis-te até ao fundo, até ao ermo

Tenho-me a mim, a minha mísera vida, e mais nada

Sou a pobre coitada porque me tomas, isso mesmo

Sim sou isso, arrogante e insegura, até ao âmago

O fel que se instalou na minha garganta não mente

Sou perversa, louca, mas humana, e demasiado crente

 

Terei que pagar por querer na minha vida um pouco de luz?

E vou pagando, como pago, pago com sangue, carne e osso

Que mais tenho eu para além disso? A beleza do mundo que me seduz?

Pago também, deixando de a ver, Tudo isto é demasiado precioso

Para mim, pelo menos para mim. E desafio, o resto

Será por isso? Com certeza, com certeza que nem presto.

 

E nem sei, pobre de mim, sou cega

E continuo a amar-te, amar-te cegamente

Nem quero ir, nem penso que já chega

Apenas sonho ter-te para sempre

Que voltes, amando-me, como talvez nunca o tenhas feito

Salvando-me desta dor que me consome, um acaso perfeito

 

Mas nada, continuo a pagar com o que sou por ti

Amando-te demais para suportar não te odiar

E espero, como uma devota, ansiosa, aqui

Sei que não virás, isto mata-me, sou louca por aqui continuar.

Mas temo a ideia de não te voltar a tocar

Quando ela me alcança, berro, enlouqueço, arranho-me, mato-me

Eu sou uma pobre coitada, eu sei, tu não virás salvar-me...

06
Abr09

Chuva de Verão

Sara Oriana

Sou um mar de lágrimas por chorar,

Água estagnada que não tem por onde escoar,

Sou agua fétida, podre, corrompida

E nada me pode voltar a purificar

Pois há muito que fiquei na sombra perdida

 

Amo a luz desejo-a, faço tudo por ela

Mas no fundo não a tenho, apenas sonho tela

Afasto-me tanto do que sou, só para essa doçura provar

Que quando volto a mim, dói-me ainda mais perde-la

E de mim, não há nada que me possa salvar

 

Perdi-me, fugindo da minha apaixonada loucura

Mas é isto que sou, uma paixão sem cura

Amo de tal forma amar, que me esqueço do que sou

 

Sou a irritante chuva de um dia de verão,

Rego as plantas, acaricio tudo em que toco com devoção

Mas por muito amor ao mundo, todo ele me desprezou

04
Abr09

Azares

Sara Oriana

O azar está na minha cabeça,

Transformarei a caca de pombo em flores,

As quedas em movimentos de graça,

A chuva no futuro a esperança.

E rir-me-ei de todas estas dores

 

Preocupo-me demais, eu sei,

Sou feliz mesmo com tudo errado

Coisas estas que nunca imaginei

Mas agora olham-me porque amei

E não me arrependo de ter amado

 

Sonhos, pequenos pássaros que nos cantam

E com o seu cantar choroso nos encantam

Mas nada sou para julgar, nada sou para calar

 

Eu adoro-os, choro-os, agarro-os, eles levam-me

No seu canto já premeditado, já fadado, elevam-me

E sabendo tudo isso, jamais os deixarei de amar

31
Mar09

No meio dos estilhaços

Sara Oriana

Perco-me mas acho-me no meio destes estilhaços

Descubro-me, Cresço, Aprendo, Acarinho-me

E Quero tornar tudo isto produtivo, apanhando os bocados

Aprendendo realmente a amar-me

 

Dos pedaços faço uma obra de arte

Eu mesma, com um coração bem maior

E de tudo faço para abrir a minha mente

Acarinho e recupero o meu interior

 

Sei que vai custar, que vai demorar

Mas Deus é grande e em tudo nos traz uma lição

Nem que isso seja, curar um partido coração

19
Jul08

Confusão

Sara Oriana

Meu deus... já nem sei se falo verdade ou mentira

Se apenas me quero agarrar ás recordações

Para não amar no futuro, para permanecer partida

E cada passo me é mais pesado, como se carrega-se o mundo...

E tudo por medo, medo de desilusões,

Ou do destino me levar a perder isso tudo...

 

Mas quanto mais eu quero as coisas,

Estranhas elas me parecem, porque são tudo o que queria

E nada do que pedi...

Mas apenas acontecem em momentos errados...

E aquilo que mais me sorria

Torna-se a maior dor que já senti...

 

Eu não queria nada, não queria nada,

Mas agora que tenho, ainda me sinto mais perdida

 

E agora tenho alguém que não pedi

E sentimentos passados vão se apagando...

Mas no entanto, o meu coraçaõ ainda não cedi,

E o destino, agarrou.me outra vez, e se ceder, perderei tudo...

 

E tu quando me consolavas dizias, há coisas que não são para ser

E pelo vistos, és mais uma, e por isso acabarei por te perder...

18
Out07

Brisa

Sara Oriana
Brisa que me tocas de leve
Leva daqui a minha mágoa
Tras-me a paz que nunca tive
Faz transbordar lágrimas desta lagoa
Tira este sufoco de mim
Põe a este tormento um fim
E vira esta página da minha vida
Da mesma forma que o fazes com o meu caderno
Não quero mais estar perdida
Quero um sonho doce e ameno

Levemente, Suavemente
Leva-me e não me tragas de volta
Tu que és tão suave
Tira-me simplesmente daqui
Liberta-me desta saudade

Mas no fim acabo sempre por pensar em ti
E este sonho perdido
Não me liberta, não me deixa
Culpa da brisa que se desleixa
E na docura de um sonho
Perco-me a mim, perco-te a ti
Porque a realidade é bem diferente
Porque a realidade é aquilo que sinto e já senti
Em eu choro e grito, num mundo inexistente
Mas aqui, apenas te observo
Cada vez mais distante
E no meu caderno assim o descrevo
Este amor tão desgastante...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D