Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

30
Jul08

Detalhes

Sara Oriana

A nossa vida tem destes pequenos detalhes,

Os detalhes simples de existir, de viver

Percamos as horas os minutos, os segundos

Que o mundo nos fuja das mãos, Te-los-emos sempre

Aquela pedrinha bonita no chão,

O vento que nos passa pelos cabelos

Os detalhes da mais pequena existencia...

 

Depois chegam-nos outros detalhes, detalhes de pessoas

Pequenos gestos e caricias, um piscar de olho,

Uma caracteristica chamativa, uma marca de diferença

Lembranças que causam saudade, outras descrença

Ou aquela pessoa estranha, e no banco aquele velho

A folha que cai, um olhar que nos sobressai, uma pessoa brilhante

E assim apareces tu, em mim, inundando-me a mente...

 

Mil e um detalhes por decorar, mil e uma maneiras para estudar

E lá estás tu também a olhar-me...

E ai pergunto-me que te estará a passar pela cabeça...

Se me estudas da mesma forma, ou apenas admiras algo que nem eu vejo...

E nessa duvida fico analisando, pensando, existindo...

Quando dou por mim, passou todo o tempo do mundo,

Mas nada foi perdido, tudo ganho, mais uma espressão, mais um olhar

E me perco outra vez neste doce amar...

 

 

29
Jul08

Nós

Sara Oriana

Neste momento descrevo o inexplicável,

Sinceramente não sei que escrevo mesmo,

Sei que é sobre mim, que é sobre ti

Mas há coisas, demasiado grandes e pequenas

Demasiado avassaladoras para as descrever assim...

 

E nós, somos assim, grandes e pequenos,

Demasiado grandes e pequenos, demasiado para o mundo

Tu com os teus batuques, eu com o meu silencio

 

Somos cada dia e cada noite, o sol, a lua

Somos a luz e a bruma

Somos tudo aquilo que o outro não é

 

E lutar por tudo isto, não é sacrifício, é a plenitude

É lutar por aquilo que vale a pena, é tudo o que o mundo quer

E nós temo-lo

 

A  distancia que nos tente afastar

O mundo que nos separe

O destino que de tudo nos impeça

 

Estaremos sempre juntos,

Se não física, psicologicamente,

E a sorte que nos tente!

 

Não há nada que quebre duas mentes plenas

Nada que seja tão difícil de danificar,

Como nós, e as nossas crenças!

19
Jul08

Recomposta

Sara Oriana

Não estou livre, nunca o estive

E a minha prisão, sou eu mesma

As minhas barreiras indestrutiveis

O quanto afasto quem me quer,

O medo de tudo perder...

 

E acabam por não me defender de nada

Barreiras que apenas me afastam do mundo

Vivendo apenas uma época passada...

Eu quero de volta a minha liberdade!

A minha dignidade!

O meu eu!

 

A coragem parece ter-me abandonado,

Porque achei que o medo me protegia

Mas saio tudo errado,

Que gingantesca ironia...

 

Não fui feita para parvoices, fui feita para lutar

E estou aqui a chorar angustias que já nem existem

Tenho sempre medo... E mais momentos se perdem

 

Mas onde esta a guerreira que um dia fui?

Aqui... finalmente recomposta

Depois de muitas batalhas perdidas

De grandes feridas reabertas

Estou aqui.

Perdi quase todas, mas tentei

 

E porque tentei, continuarei a tentar

E vou conseguir.

 

Hoje quebrar-se-ão barreiras

Hoje serei corajosa, e como hoje sempre

Sou para sempre uma das mais temiveis guerreiras!

 

19
Jul08

Confusão

Sara Oriana

Meu deus... já nem sei se falo verdade ou mentira

Se apenas me quero agarrar ás recordações

Para não amar no futuro, para permanecer partida

E cada passo me é mais pesado, como se carrega-se o mundo...

E tudo por medo, medo de desilusões,

Ou do destino me levar a perder isso tudo...

 

Mas quanto mais eu quero as coisas,

Estranhas elas me parecem, porque são tudo o que queria

E nada do que pedi...

Mas apenas acontecem em momentos errados...

E aquilo que mais me sorria

Torna-se a maior dor que já senti...

 

Eu não queria nada, não queria nada,

Mas agora que tenho, ainda me sinto mais perdida

 

E agora tenho alguém que não pedi

E sentimentos passados vão se apagando...

Mas no entanto, o meu coraçaõ ainda não cedi,

E o destino, agarrou.me outra vez, e se ceder, perderei tudo...

 

E tu quando me consolavas dizias, há coisas que não são para ser

E pelo vistos, és mais uma, e por isso acabarei por te perder...

17
Jul08

Desespero

Sara Oriana

Caminho... Caminho... Caminho...

Num mar de branco! De nada!

Quero de volta o teu carinho

Quero voltar a ser, por ti, amada

Mas o vento te levou...

 

E sei que não há volta

E por isso estou quase morta...

 

Quero tanto chorar... Enterrar-me... Morrer

Mas não o quero mesmo... quero voltar a sorrir

E no momento em que sei que tudo foi

Mais me sinto desvanecer...

Sinto-me cair...

 

E quero voltar a subir o poço

Mas sem ao fundo ter chegado

Quero ser mais que um esboço

Quero a cor do meu lado

 

Mas nada está ali, sou eu sozinha

Eu... e tão pequenina...

 

Já não existes, eu sei, já não existes na minha vida

Mas quero que te vás embora de dentro de mim também

Não me quero mais sentir perdida!

Por favor, vai-te por fim...

13
Jul08

Conformação

Sara Oriana

É difícil acordar de tamanho pesadelo,

Acordei, mas sem coração, desapareceu de meu peito

Arranquei-o sem querer... eu apenas queria esquece-lo

E agora, agora não estou bem nem mal, existo...

 

A minha existência não é difícil, sou una

Mas, mesmo assim, o vazio não me abandona

É como um capataz que me quer tirar o que não tenho,

Estou tão viva, mas já não sonho...

 

Tornei-me mais céptica, cresci, mas não queria

Já não sou nem guerreira nem princesa nem sereia

Sou apenas mais uma que existe,

Mas uma que nesta vida insiste...

 

Estou aqui, bem aqui, mas do néctar doce já não provarei

Porque deixou de existir, para mim

A esperança foi-se, com meus sonhos

Deixar-me-ei ir

Na minha corrente, assim

Descansando, por fim...

08
Jul08

Despertar

Sara Oriana

 

 E cá me envolvo de novo no meu ser

Na minha felicidade excessiva,

Mais real que qualquer outra, mas sem amor,

Porque ainda não sei bem que fazer,

Mas certa estou de que voltei a mim,

Embora ainda não me tenha livrado do teu calor,

Mas sei que isso terá, um dia, fim.

 

Hoje é dia de sorrir, sorrir como nunca

Sorrir assim simplesmente, por razão nenhuma

Rir-me para a sorte que não me sorriu,

Rir-me para a vida que sempre me acarinhou

Rir-me de tudo o que me partiu

Rir-me de mim, porque ainda não passou.

 

Mas sei que rir-me-ei com gosto

Porque não há razões para chorar

Sopra o vento

E deixarei o sol raiar...

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D