Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

Simples Poemas

Este blog é um local onde partilho os poemas que vou criando, faço-o por puro prazer e diversão. Posto um pouco de tudo, principalmente acerca de sentimentos, emoções e momentos.

26
Nov07

Grande e pequenina

Sara Oriana
Quero apenas uma folha de papel!
Não! Quero mais! Muito mais!
Quero ter mais arte com o lápiz e o pincel!
Quero navegar em cores belas e banais!!

Quero voltar ao mundo
Em que havia princesas e fadas
Herois, e Heroinas, criaturas aladas
Quero perder-me para sempre!
Aquele mundo com um sol tão quente...

Só tu para despertares esta criança!
Reina o verde no meu reino!
Pareço um poço de esperança
Mas limitei-o tanto, está tão pequeno...

Não quero saber de mais nada!
Quero-me a mim de volta!
Quase que morri sofucada,
Agora, agora mudarei o meu barco de rota!

Serei guerreira, serei pirata
Serei rainha, magnata
Sei lá, serei qualquer coisa
Tudo o que quizer
Com vitória e derrota!

Recuperarei a minha imaginação preciosa
E navegarei por este mar até morrer!
Tenho alma de artista e quedei-me entre paredes!
Que bruta estupidez a minha!
Mas agora posso ser mais,
Serei grande e pequenina!
20
Nov07

O Sonho

Sara Oriana
Lua embala-me no teu regaço
Faz-me sonhar faz-me relembrar
Do calor do seu abraço
Pois nada fez o tempo parar...

E perdida num sorriso sonhador
Me quedo, sem restias de dor
Sonhando, simplesmente sonhando
No cantar do vento me vou perdendo
Ele enlaça os meus cabelos
E estes, suavemente, voão
Os meus olhos fecham-se

E lá estás tu sorridente
Passando-me a mão pela cara
Com aquele sorriso tão quente
Que tanto me aquece a alma...

Aproximas-te mais um pouco,
Tocas-me de leve nos lábios
E quebras o meu sufoco

Ali ficamos, perdidos
Esquecidos...

E de repente, o vento descontente
Surpriende-me com uma rajada
E eu acordo sobressaltada
Agora, quedo-me vazia e sem graça
Chorando sem chorar a dor que não é dor
Lembrando-me ainda daquele sabor
E a saudade lá me enlaça
Mas eu não me queixo, nem me importo
Embora não saiba o que possa acontecer
Tudo isto vale por cada momento
E perfiro este doce sofrimento a te perder...
20
Nov07

Pôr do sol

Sara Oriana
E se aquele pôr do sol fosse eu?
Se eu desaparecesse assim?
A minha vida, e tudo o que sucedeu...
Eu não passaria de uma flor de jardim
E na verdade, posso não ser o pôr do sol
Mas os momentos são mais fugazes que isso
E o tempo algo extremamente impreciso

Eu, eu sou apenas uma folha ao vento
Vendo mil pôr do sois
Aproveitanto cada escasso raio, cada momento
Mas não consigo ter a segurança da manhã
Não me fio em Deus, sou como que pagã
E miro o pôr do sol, temendo a noite
E agradecendo a sorte
De um ultimo raio de luz
Daquele doce brilho, que tanto me aquece
Essa luz que me esquece
Mas que tanto me seduz...
10
Nov07

Tempo

Sara Oriana
Nunca desejei tanto que o tempo para-se
Nunca pensei que este me atormenta-se

Os momentos escoam-me da mão
Quero abraçar-te,
Quero beijar-te
Acalmar o meu coração
Mas quando dou por mim
Já em pó te transformas-te
E esperando, fico aqui
Debaixo da minha tempestade

Só tu me das guarida
Só tu acalmas esta alma atormentada
Com o teu abraço acolhedor
Que me afasta qualquer possibilidade de dor

Então o vento volta a levar-te
O tempo arranca-te dos meus braços
E eu fico num mar de sargaços
Condenada a esperar-te
Atormentada por fantamas
Sonhando contigo apenas

Só assim sei o quão te adoro
Ao não te ter, enquanto te espero
Só Deus sabe a falta que me fazes
Vendo a espera do abraço que me trazes...
08
Nov07

A perfeição

Sara Oriana
Mas que pacifidade tão singela
Eu estou tão bem, tão contente
A vida parece-me tão bela
E eu cá ando, sorridente

Entre nós, não há belas palavras
Pois essas até o mentecapto as diz
A mim, apenas um sorriso me deixa feliz
Porque delas, só ouvi mentiras
E o teu sorriso, é tão simples e sincero
Que me acalma todo o desespero

Digo-te mais, promesas não as perciso
Não as quero, também já ouvi muitas
E no amor nada e preciso
Essas seriam mais fiaveis se custassem alguma coisa

E apelidos carinhosos
Esses são tão pretenciosos
Por algum motivo me deram nome!

E vamos a ver, nós não dizemos nada
Falamos, claro que falamos
Mas como amigos que sempre fomos
E a tua mão suave e calejada
Dá-me todo o carinho
Quando me toca a face de mansinho
Me agarra as mãos protectoramente
E as aperta suavemente

Conteplas-me e sorris
Enlaças-me num olhar
Eu perco-me num pestanejar
E tenho tudo o que sempre quis

08
Nov07

Saudade

Sara Oriana
Pequena, encolhida, uma criança
Quieta num canto, cega, não queria ver
Uma pequena luz, uma esperança
Lá a fez desencolher

Com desejo de se iluminar
E as suas angelicas asas abrir
A medo, a desejou abraçar
E nela acabou por descobrir
Não só a luz que a encobrio
Mas uma mão, que a acudio

E com um toque, a penumbra desvaneceu-se
As asas, voltaram a abrir-se
E a cor e a vida a banharam
Haviam sido tão desejadas, quase suplicadas
E quando a esperança findou, acordaram e reencarnadas
Transformaram, o sofrimento e o breu
Num jardim, que é tão teu

Olhou para a mão
Forte e calejada,
De tanto bramir uma espada
Uma gêmea logo apareceu, devolvendo-lhe o coração
Seguido-lhe um beijo que a aqueceu
E nesse sonho em que se perdeu
As carinhosas mãos calejadas
Eram suaves e aladas

O mais belo de tudo no entanto
Foi o sorriso de encanto
Que depois nos teus labios jazia
Um beijo que eu perdia
E outro que ganhava a seguir
E na realidade, lá me quedei a sorrir

Então me sorris-te de volta
E a tua mão grande, abençoada
Carinhosa e calejada
Acariciou-me a cara, suavemente
E eu rejubilante e contente
Sorri de novo e a agarrei
No entanto, não longe da verdade
É momento que criei, pela simples saudade
06
Nov07

Raio de sol

Sara Oriana
O sol raia lá fora e eu cá dentro espero
Um raio quente e carinhoso
Eu desperto, e tenho tudo o que quero
E este sonho perguiçoso
Que teimou em ser meu
Agora, também é teu

E no intenso vermelho
forte e aveludado vou-me perdendo
E tudo o que passei, é apenas um trapo velho
Fechado numa caixa, perdido
No que realmente é belo.

Tenho-te a meu lado
Estás longe, eu sei
Mas esse é apenas o preço fadado
Que eu antecipei

Olha-me nos meus grandes olhos castanhos
Vê o meu sorriso, tão diferente em tempos passados
Não me interessa o que tive que esperar
Apenas que agora te posso tocar....

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D